31.8.10

Cartunzinho

7 comentários:

Ricardo disse...

Melhor com o Collor e com a família Sarney!
Dois ótimos ex-presidentes, só nao pode com FHC, o pior dos piores.

Wilson Alves disse...

A diferença entre Sarney, Collor e Fernando Henrique é que os dois primeiros aceitam naturalmente que são ex-presidentes.

Ricardo disse...

Wilson, mais uma vez voce está errado e fazendo papel de bobo. Quem nao aceita a idéia de ser ex-presidente e ter que largar o osso é o seu queridinho Lula e seus aliados internacionais (Chaves, Fidel, etc.)que topam tudo pelo poder eterno.
Já li muitos argumentos seus que sao coerentes, apesar de nem sempre ter a mesma opinião. Tudo o que voces sabem falar é FHC, tudo de ruim no mundo é culpa dele. Sarney e Collor foram dois dos piores presidentes que o Brasil teve (se discordar, sinto pela sua sanidade), mesmo assim seu partido fica de quatro por eles, esquecem do passado quando é conveniente, só nao esquecem do FHC pois essa briguinha PT vs FHC virou marketing petista.
Seja sensato: FHC fez sim coisas boas e ruins, assim como Lula tem mérito e também merece algumas críticas.
Agora Collor e Sarney???? Me diga o que fizeram de bom pelo país!

Wilson Rezende disse...

Parabéns Ricardo pelo ótimo comentário.

Wilson Alves disse...

De certo foi o Presidente Lula que alterou a constituição para se beneficiar, né Ricardo?
Nós do PT falamos de FHC porque a disputa está polarizada, ademais não se trata de olhar o retrovisor como não se cansam de falar tucanos e demos, mas mostrar o que nos aconteceria num eventual governo do PSDB/DEM/PPS. “É a economia estúpido” e ninguém rasga dinheiro.

Wilson Alves disse...

Quanto à comparação entre Sarney, Collor e FHC, dos dois primeiros não se esperava o que se esperou de FHC.
Fernando Henrique era o Lula da época, conheci muita gente decente que se filiou ao PSDB porque acreditava que os tucanos poderiam fazer aquilo que o PT fez e faz, enganaram-se redondamente.

Wilson Alves disse...

Mas cá entre nós “a pedra era cantada”, os quadros políticos do PSDB nunca foram confiáveis, faltando-lhes apenas a oportunidade.
Oportunidade que o brasileiro há de lhes negar, mais uma vez e assim sucessivamente enquanto pudermos lembrar nosso povo de quanto pode ser devastadora a gestão de políticos que visam apenas seus próprios interesses.