13.9.10

Cartunzinho

6 comentários:

Ivan disse...

Sensacional Lukas. Essa serve tanto para os que não podem comprar por estar cara, como para os que sofrem restrições alimentares.
Ivan

PROFESSOR DE SOCIALOGIA disse...

Concordo com o Rábola Ivan,bons tempos aquele que o povão poderia comprar picanha pelo menos uma vez por mês Ivan, hoje no desgoverno Lula é uma vez por ano e olha lá.
ÓTIMO CARTUM DO LUKAS.

Anônimo disse...

eu nem coragem tenho de comprar picanha , eu vo la e com a mesma grana eu compro quase tres klos de bisteca e dalhe colesterol (porque sera que tudo que é bom é pecado imoral ou engorda?) sete..

Ivan disse...

Professor de sociologia, partidária, não sou rábula. Sou o outro Ivan. E sinto saudades do governo do FHC quando só se comia carne nos ataques de febre aftosa ou a convite de um amigo bem de vida. Só ficou uns dois durante o governo FHC. Agora tenho uns vinte que até filé mignon consomem. E até para o exterior viajam. Mas choram e não admitem. Antes, nem nas redondezas conseguiam ir. Melhorou demais. Uns 80%. Coincide com o percentual de aceitação do "cara". Aqui. No exterior é unanimidade. Mas não fale prá ninguém para não atrair a ira e maus olhados, dos quais, estou imune.
Hoje a carne está cara por causa do aumento do consumo propiciado pelo aumento da renda. Aumentou, também, devido a desculpa pela morte de uma meia dúzia de rezes com raios. Você viu a desculpa? Se fosse isso, não havia tanta carne gorda e os estoques seriam desovados rapidamente dado a escassez de pasto e morte eminente como nos foi dito. Mas aqui, hora é o dólar, hora, é a seca, hora é as duas juntas. Em épocas de campanhas eleitorais também se fazem grandes churrascadas para angariar votos. Parece que os eleitores gostam de churrascos mas não votam em quem os patrocinam. Isso também não pode ser falado.
No mais é se preparar para a segunda etapa de limpeza e cadeia para mensaleiros e mensaleirinhos duela a quem duela. Senão isso aqui ficará ingovernável. Até os rábulas terão que se enquadrar pois ninguém mais está aguentando.

Wilson Alves disse...

Lukas...

Sempre gostei de tirinhas, cartuns e charges. Uma tira que jamais esqueci foi na época em que Sarney resolveu confiscar o boi, e a carne que num primeiro momento era vendida com ágio, depois sumiu completamente do mercado.
O chargista goiano Britus saiu-se com essa:
O Kateca vai passando distraidamente em frente a um açougue, olha para seu interior e exclama exaltado: _CARNE! CARNE!
Um balconista com uma cara das mais indolentes, atrás de um balcão frigorífico, exclama enfadonhamente _Não adianta, é de plástico... Referindo-se ao destaque de alguns OSSOS amarrados com barbante num expositor sobre sua cabeça.

Anônimo disse...

ja resolvi.. vo fazer um churrasco... sete.