23.7.10

Brincando com coisa séria

Parte de texto de Miguel do Rosário em seu ótimo Óleo do Diabo

Eliane Cantanhêde, em sua coluna de hoje na Folha, afirma que os tucanos "gostaram" da crise entre Venezuela e Colômbia, que teria aparecido na hora certa, e pretendem usá-la para reforçar o papo das Farc.
A irresponsabilidade de Serra flerta com a loucura. A briga entre Venezuela e Colômbia não é brincadeira, porque embute a possibilidade, remota mas real, do surgimento do primeiro grande conflito bélico na América do Sul do século XXI.
Usar isso para faturar eleitoralmente é desonesto, insensato, antipatriótico e criminoso.

2 comentários:

Anônimo disse...

Lukas, as FARC frente a maior oganização terrorista e guerrilheira em operação no mundo não passa de uma trombadinha.
Com suas bases da paz e domínio sobre todas as organizações, inclusive as secretas, dissemina o terror e a desconfiança entre as nações. A pretexto de combaterem o narcotráfico se instalaram para garantir o fluxo de drogas na esperança de que seus jovens não se suicidem e não tenham medo de irem para as inúmeras guerras que promovem no mundo todo. Honduras foi uma amostra bem sucedida com o apoio do PIG de lá, cuja filosofia é a mesma do PIG daqui. Você acha que esse incidente entre Colômbia e Venezuela está acontecendo por acaso? Quem é o candidato a presidente preferido do PIG e que praticamente já declarou guerra contra a Bolívia e ao Mercosul?
Pior cego é o que não quer ver.
Ivan

Wilson Alves disse...

Quem não brinca nunca é José Serra.
Na impossibilidade de vencer Dilma Rousseff o candidato da oposição saiu-se com esta:

"Quem vem comigo sabe como eu me comporto. É um pouco difícil ficar comparando quem tem quem. Num torneio, a candidata do governo PERDE no quesito más companhias."

Se bem que tem um cara de boina lá no ONIPRESENTE comentando que a Marina Silva ganha do Serra, o motivo seria a candidata verde ser laranja do tucano campeão das más companhias.

Pode!?