26.3.11

Lá e cá

A autoestrada japonesa, que foi totalmente destruída pelo terremoto, teve sua total resconstrução feita em seis dias.
No Brasil, na BR-277, no Paraná, uma pequena ponte caiu pela força das águas que devastaram a cidade de Morretes. Os governos federal e estadual deram 180 dias para a reconstrução.

7 comentários:

gyovanna disse...

e a transamazônica que ja tem trocentos anos de enrolação!

Wilsoleaks Alves disse...

A sociedade japonesa é milenar, a brasileira secular.

Anônimo disse...

eu torço sinceramente q a copa do mundo seja um fiasco em termos de organização, para q a vergonha q vamos passar sirva de lição para todos. nao existe a menor possibilidade de crescer qdo um povo coloca seu direitos na frente dos seus deveres...

Ivan disse...

É que no nosso País, primeiro temos que criar grupos de trabalho e fazer reuniões. Cumprida essa primeira tarefa, a próxima é preparar os processos judiciais, como no caso do lixo aqui em Maringá. Há uma satisfação bacharelística, como diria Odorico Paraguaçú. Muitos gastos e nenhuma solução. Há satisfação, também, nas agências de viagens.

Lidineide A. S. disse...

http://lostinjapan.portalnippon.com/

Henry disse...

Mas pera aí lukas?
A PR277 é concessão das empresas de pedágio!
Só pra lembrar são 11 praças de pedágio entre Foz do Iguaçu e Paranaguá!
Porquê agora é o governo que está sendo culpado pela demora na reconstrução ?
Não seria obrigação das exploradoras de pedágio, quero dizer das concessionárias?
Se repassarem as contas para os cofres públicos, tá na hora do povo do Paraná dar um basta nesta turma de exploradores!

Putskassackosliks disse...

A corrupção e a mensalomania são seculares no Brasil