17.2.11

Bom início

Segundos depois de dizer que apoiaria o governo e seu partido na discussão sobre o salário mínimo, o deputado Tiririca (PR-SP) votou a favor dos R$ 600, apresentado pelo PSDB.
Questionado, ele disse que tinha votado não. Informado que na listagem oficial da Câmara tinha saído sim, afirmou:
"Ih, então eu votei não e saiu sim".

16 comentários:

gyovanna disse...

ihhhh e isso porque ele é alfabetizado hein... onde será que ele aprendeu a ler??????

Anônimo disse...

Ola gostaria de convida-lo para ser meu seguidor no meu Blog! obrigada :D
http://ideiadeumavida.blogspot.com/

Anônimo disse...

Convernamos 545 é uma merrrrrrreeeeecaaaaaaaaaaaa!

Anônimo disse...

vexeeee.... bom começo heim mocinho...

Foi a Massa que insseriu o senhor ai, agora, quem vai aguentar é a MASSA....

COISA RUIM disse...

É MUITO BEM FEITO PRO ELEITOR, QUE BOTOU ESSA TROPA DE ASSALTANTES QUE DOMINAM O BRASIL....
MISERÁVEIS INTELECTUAIS, CRIAS DA SANHA PELO PODER,EU QUERO QUE QUEIMEM NO FOGO DA IGNORÂNCIA, DA MENTIRA E DA HIPOCRISIA....
TENHO DITO

Dr. José Francisco disse...

Tiririca mostrou todo sua coerência ao dizer que ia votar no salário mínimo do PT(545,00) e na realidade votar no do PSDB(600,00), ele não é besta não, provou que não é abestado, ficou bem com o povão, mas o principal motivo da lambança do palhaço é que ele estava sendo ameaçado pela Dilma,Zé Dirceu e Ginoino para votar no 545,00 e ai ele deu esta rasteiras nos petistas.

Wilsoleaks Alves disse...

O salário mínimo de R$600,00 é pura demagogia tucana. O PSDB só obteve 44 milhões de votos, no último pleito, graças a esta promessa vazia de José Serra.
Qualquer pessoa minimamente informada sabe que a recuperação dos salários, inclusive do mínimo, tem que ser gradativa para não gerar alta inflacionária nem quebradeira de prefeituras e pequenas empresas.
Na época em que a oposição, leia-se PSDB/DEM/PPS, era situação a correção dos salários era pífia.
Pra se ter uma vaga idéia de quanto era defasada a política salarial dos “tunganos” basta notar e anotar que quando FHC passou a faixa presidencial para LULA o salário mínimo valia apenas 78 dólares, e agora, após oito anos de progresso já está em quase US$300,00.

Patricia disse...

A responsabilidade pela aprovação do valor do salário mínimo de 545,00, proposto pela Dilma, ao invés dos 600,00, propostos pelo PSDB, deve ser dividida com todos os partidos que a apóiam. São eles (preste atenção eleitor!!!):

PCdoB, PDT, PHS, PMDB, PMN, PP, PR, PRB, PRP, PRTB, PSB, PSC, PSL, PTB, PTC, PTdoB, PV e PT.

Esses aí acima foram os que deram um tremendo golpe no trabalhador ontem. Anote o nome deles, anote!!! Na próxima eleição lembre deles!!!

Wilsoleaks Alves disse...

Patrícia, minha querida menina...

No código penal o numero 171 é referência para estelionato.
No jargão político o numero 600 terá a mesma tipificação.

Uma perguntinha que não cala:
Por que vocês acham que o povo brasileiro cairá nesta esparrela agora, se não caiu nas eleições?

Amanda Pulga disse...

Me parece que o tal acordo firmado entre o governo e as centrais sindicais, o qual define o valor de R$545,00 para o SM é anticonstitucional. Será que alguém se atentou a isso pois o acordo vincula o SM à certos índices, como inflação, e a constituição diz que o SM não pode ser vinculado a nada.

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

IV – salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim;

” sendo vedada sua vinculação para qualquer fim”.

O PT só tem coerência para eles!! Que se dane o povo trabalhador!!!!

Elton disse...

Foi-se o tempo em que deputados que votavam contra “interesses” da CUT apareciam em outdoors como “inimigos da classe trabalhadora”.

Wilsoleaks Alves disse...

Pulguinha...
Em nossa Carta Magna também está escrito que a taxa de juros máxima é de 12%. E daí? Uma coisa é querer, idealizar; outra completamente diferente é obter.
Uma é o sonho a outra é a realidade.
Para se atingir objetivos a ideologia é fundamental, contudo, viver apenas de sonhos só é possível em fotonovelas e gibis.

Wilson disse...

Se os petistas estivessem na oposição, defenderiam os 600 reais, que também seria uma merreca de salário. Essa conversa do Lilica me faz lembrar os tempos da ditatura, de caras do tipo Delfim Neto. Salário mínimo é tratado de acordo com interesses dos políticos. Infelizmente o PT é essa coisa aí... Achar que eles estão do lado dos trabalhadores, só nas fotonovelas e gibis mesmo.


Se o pt defender as fezes como opção alimentar, o Lilica vai dizer que ja provou e que é muito nutritiva.

Wilsoleaks Alves disse...

SE...
O PT não fosse situação,
O DEM não fosse partido anão,
O PSDB não perdesse a eleição,
O Serra não tivesse feito papelão,
O Índio não fosse canastrão,
O Álvaro Dias não requeresse pensão,
O reaça não fosse tão sem noção...

Paulinha disse...

Na votação do salário mínimo em R$ 545, sentimos na carne a força da República dos Pelegos. Presidia a votação Marco Maia, um petista pelego de alta pelagem, criado no sindicato dos metalúrgicos e na própria CUT gaúcha. Na tribuna, para defender a proposta do governo federal contra os trabalhadores, estava Vicentinho, outro pelego metalúrgico, com um traço dos mais característicos entre a "raça": a língua presa. Até mesmo o convocado para fazer uma figuração de contrariedade e revolta, em nome das centrais sindicais, era pelego até no nome: Paulinho da Força Sindical. O salário mínimo de R$ 545 foi aprovado porque o que não falta neste Legislativo é pelego para a patroa Dilma montar.

Wilsoleaks Alves disse...

Retrato dos tempos:
HOJE, com um salário mínimo maior que 300 dólares, há quem diga que a PRESIDENTA “montou” no congresso.
ONTEM, à época de FHgá, com um salário mínimo menor que 80 dólares, não havia quem discordasse que o PRESIDENTE cavalgasse nosso povo.

O povo não é burro, malgrado os pseudos entendidos discordarem e viverem tentando impingir derrotas ao Governo Popular e Progressista instalado no Planalto Central desde 2003.