20.4.09

Um burguês em Sampa




Fiquei sabendo que o B-52's viria ao Brasil no início de 2009. Em setembro eu tinha 327 pilas na poupança, pra comprar livros, CDs e afins.
Aí eu pensei: vou guardar mais um pouquinho mensalmente pra ir ao show da banda. Trabalhei, economizei.
Fui! Agora à pouco li um comentário de um anônimo no blog do Rigon "[...] Ver xou de grupo estrangeiro? De rokirrou? É burgueis, disfarçado de proleta defensor dos pobres e oprimidos. Só engana quem quer se enganado [...].
Uma pena a mentalidade desse pessoal (o cara reclama de pessoas que vêem show de "grupo estrangeiro" mas não sabe escrever em sua própria língua). Reparem no portugês do fã do Latino.
Fui com meu dinheiro, guardado mês a mês, sozinho, de ônibus, com o pé machucado, sem conhecer São Paulo. Penei praca. Olhem só aí e chorem pelo tio Lukas:
No dia do show - faltavam 3 horas pra começar a bagaça- e eu estava em um ponto de ônibus (já tinha pegado dois pra me aproximar do Credicard- é longe de onde eu estava). Eram 6 da tarde e eu estava num ponto de ônibus, quando me deu uma cãibra na coxa esquerda e eu não conseguia dobrar a perna, fui indo pra trás pra não cair de cabeça na calçada; uma dor horrivel; me sentei e alguém chamou o Samu. Logo em seguida a dor passou e consegui me levantar. Cinco minutos depois chegou. Me examinaram; mediram pressão, pediram documentos, endreço, etc.Falei que estava legal e que foi apenas uma fadiga devido à viagem de 9 horas e que eu não tinha dormido havia 28 horas e me alimentado mal. Preferi ir ao pronto- socorro deitadão na maca dentro da ambulância, respirando oxigênio. (Ah! Que sensação!!).
Parte 2
Chegando no pronto-socorro, me colocaram numa cadeira de rodas e um médico me examinou. Me levaram à uma salinha; uma atendente me aplicou um treco na bunda e pediu pra me sentar (já eram quase oito horas).
- O que que é isso aí? Perguntei
-Soro, respondeu.
-É pra mim?
-É, disse.
-Demora muito?
- Quase uma hora.
Me levantei e caí fora.
Aí eu vou resumir: Eu não sabia mais onde estava, porque o cara da ambulância já tinha caído fora eu não tinha noçaõ em que ponto ele me pegou.. Entrei numa padaria, comprei uma água mineral e um funcionário me ensinou como chegar ao Credicard : Quase uma hora a pé (e faltando pouco pra começar o show- e eu com o tornozelo machucado, mochila nas costas). Deu que o itinerário indicado estava errado.
Sorte que dois caras me indicaram o local certo e andei uns dois quilômetros. Aí cheguei num local todo iluminado e fui lá pro pátio, mas vi que não era ali.
-Tem que passar a avenida (?) e virar à direita, me disse um recepcionista do local (parece que é Nova América Eventos- um treco grande pra caralho).
Aí me indicou um atalho pra chegar na avenida. Andei pelo gramado. No final, quando olhei, era uma altura de uns dois metros pra pular na calçada. Pé machucado, cansado, sem dormir. Vou arriscar. Voltar, nunca!
Aí eu botei a mochila na beirada, me sentei no chão e e soltei o corpo. Não deu nada, peguei a mochiila e toca a atravessar a avenida. Carro dos dois lados. Demorei uns 10 minutos pra chegar à rua do Credicard.
Parte 3
Um pátio cheio de pessoas joves, pessoas da minha idade ou mais.
Fila da pista, coisa rápida, mochila com o celular, câmera e uma garrafa de água mineral. Duzentos mil seguranças de terno. Um me apalpou antes de pegar o ingrasso.
-Abre a mochila.
-Olha... eu sei que não pode fazer fotos. É que vim do Paraná pra ver o show e fiquei a tarde toda fazendo fotos de SP. Acho que nem bateria tem mais. Não vou fazer fotos, não.
-Faze favor colocar isso ali (referindo-se à água mineral) Joguei num lixo, cheinha, 2 reais).
Aí eu entrei, lado esquerdo do palco, pezão doendo, técnicos de som ajustando a aparelhagem; 15, 20 minutos de demora, assovios, palmas e cadê o grupo. Uivos, mais assovios.
E ,de repente, entra o guitarrista Keith Strickland à frente e o resto da turma. A galera vem a baixo. A meninas da banda a mil .O vocalista Fred Scheneider fala algo com sua voz gutural e lá vem Pump, música do último álbum Funplex.
Meu pai eterno!!!
A sequência das músicas eu não me lembro, mas a coisa foi de arrepiar. Privet Idaho, Mesopotamia... etc.
Não pode levar câmera. Huauauaaa! Logo que entram no palco já tinha umas 500 espocando o flash (as foto aí são minhas- uma em P&B por engano)
Parte 4
O show acabou à meia-noite. Não tinha mais ônibus para o meu local de origem e eu caminhei com pé machucado por umas cinco quadras e na direção errada. Aí vi um ponto de ônibus com um cara lá sentado, atravessei e ele disse qu ia pro centro. Passou uma, entramos e o cobrador disse que o ônibus parava perto da Praça da Sé.
Pensei: É centro, vou ficar perto de onde eu nem sei onde ir.
Praça da Sé, meia noite e vinte. Não sabia pra onde ir. Virei a esquina e reparei que quatro moleques totalmen chaparráis estavam num ponto de ônibus. É aqui que eu vou (meu Pai, me proteja).
Perguntei a um deles onde ficava Consolação.
-Ô mano, vai reto aqui, ó- apontando pruma avenida deserta.
-Valeu- eu disse, sabendo que Consolação não era por ali (depois eu fique sabendo que, do local onde estava, até onde qieria chegar, ia dar uns 12 kilômetros, dependo do percurso).
Saí andando e o cara me chamoi. Voltei e ele pediu grana pra pegar ònibus.
Os outros três só olhando.
Tirei a grana do bolso e saiu uma de 2, uma de 5 e uma de 50, tudo embolado.
O cara já foi levando a mão na de 50 e falou:
-O mano, dá essa aí que a gente troca pra você.
(Tio Lukas, o burguês, à uma da manhã na Praça da Sé, sozinho)
-Não, cara. Eu não moro aqui e essa grana é pra eu comprar passagem pra ir embora amanhã.
E dei mais cinco pilas pra ele.
Saí andado sem ter noção de onde estava. Aí eu escutei o cara me chamando novamente. Pensei: Pronto, agora fudeu.Vai mochila, dinheiro e até minha zorba. Me virei e ele me disse:
-Ó, valeu, hem. Brigadão véio.
Depois, andando, com pé em frangalhos, imaginei que meu anjo da guarda e Deus me protegem há muito. E imaginei também que a Consolação estava a milhas de distância. Vou pegar um taxi, pensei. E não deu outra. Passou um, dei com a mão e 15 minutos depois eu estava em frente a um boteco maneiro a 300 passos de casa. Paguei o cara:R$17,40.
Melhor do que ter perdido os 5o paus e o resto praqueles caras lá na Sé.
Entrei no bar, fiz amizade com o seu Egmar (um senhor de idade muito legal) e tomamos cerveja até as quatro da manhã.
Depois dessa saga, o burgès aqui merecia.







25 comentários:

Anônimo disse...

Que aventura em tio Lukas.
Você tem coragem de repetir a dose?
Faz um cartum de você em São Paulo ficaria maneiro.
Igual aquela ultima que você está indo para São Paulo.
As fotos ficaram 10 parabéns Lukas.
Agora bom descanso e feriado.

Marco Fabretti disse...

huiahuahiauha

comédia

Anônimo disse...

O senhor tem uma capacidade inigualável de se fazer de coitado. Tudo o que faz é sofrido, negativo, penoso...Até ir a um show torna-se coisa de coitado. Qualquer idiota (que não conhece a cidade) sabe que em São Paulo, nessas situações, somente se anda ou de carro próprio ou de taxi.

lukas disse...

Ao anônimo das 8 e 5: Se eu tivesse grana, é claro que ia andar de taxi.

Anônimo disse...

além de falso pobre, é burro.

André disse...

liga não véio, o babaca que ta criticando deve curtir esse lixo que o povo tá chamando de sertanejo universitário.
Agora vao fala a verdade, cê tem mais sorte do que juízo. Praça da Sé a meia noite e ainda tenta pedir informação pros noiados!? Loucura! Loucura! Loucura!

dennis disse...

ô Lukas, só de curiosidade, o que o seu Egmar achou da sua saga? E quanto tava a cerveja?

Anônimo disse...

chorar por vc porque???? vc nao foi ao centro da burguesia, ver oq queria??? tá, é ironia, saquei.
só falta agora vc dizer q foi um otimo show graças ao Lula, q tornou país melhor para artistas estrangeiros. q saco cara.
falar qto tem na poupança é coisa de criança.

Anônimo disse...

Nossa quanta gente invejosa. Vocês nunca foram assistir um show na vida de vocês?
Vai procurar o caminhão que vocês caíram e deixa o Lukas na dele.
O dinheiro que ele gastou para ir para São Paulo é dele. E se é isso que ele curte está mais do que certo juntar uma grana e ir ver o show.
Tenho certeza que valeu a pena né Lukas?
E qual é o preço da cerveja?
Faz um cartum de você na Praça da Sé.

lukas disse...

Ao Dennis: Ao seu Egmar não falei nada do show.E ele nem me perguntou o que eu estava fazendo ali. Só disse que vim de Maringá. Conversamos sobre política e hábitos das pessoas, ele falou da morte de sua primeira esposa e da namorada com quem convive há 14 anos (cada uma em seu apartamento).Um cara muuuuito maneiro. Ele me aceitou e eu o aceitei.
Não precisa mais. Foi muito bacana nosso papo de duas horas. A cerveja tava em R$3,50. no boteco. Valeu, cara.

Anônimo disse...

Que cara mais escroto e invejoso, imbecil, babaca e covarde o anônimo das 11:28.O Lukas fez uma coisa que talvez na juventude esse escroto aí nunca teria coragem de fazer,
E creditar ao Lula a grande sacada que o Lukas teve é de extremo ranço e inveja mesmo.

Tee disse...

PRONTO! MUSICA BRASILEIRA FOI REDUZIDA A LATINO E SERTANEJO UNIVERSITÁRIO Ò Ó

né por nada não, mais muitas das situasoes que vc passo lukas poderiam ser evitadas com planeamento e informação, já fui pra sampa só com dinheiro da passagem e 30 reais nunca ter ido pra lá, e não passei metade desses dramas.

mais tudo isso é valido deixa a viagem mais inesquecivel.

mais fala serio essa historia de "fui com meu dinheiro, do meu trabalho e bla bla..." isso sim é frase de burguês, parece meu ex patrão contando a dificuldade que teve para comprar o seu "carinho"

foda-se se te acham burguês, falso pobre, poser ou escambau não tem que ficar dando desculpas para o que vc faz a vida é sua

a sim, meu nome é Tiago S. Borges não me escondo atrás do anonimato

Souza disse...

É Lukas!!! Tú tem alguém que te protege!
Não vou chamar você de "irresponsável" por andar de ônibus e a pé na cidade de São Paulo, pois sei que aqui em Maringá, você já fez e ainda faz seus trajetos a pé, de bicicleta, de circular e até algumas vezes de carro. Conta ainda a seu favor a capacidade única que você tem de interagir com as pessoas. Então foi só "Ingenuidade" mesmo rs rs..
O Importante é você guardar as coisas boas que aconteceram, com certeza o show foi inesquecível para você.
Planejamento: Hoje tem GoogleEarth, sites da internet (www.mochileiros.com) que te dão muita ajuda de como viajar barato e tranquilo.

Anônimo disse...

Ainda bem que voce estava na praça da Sé de madrugada, porque se estivesse na Raposa Tavares a noite, aqui em Maringa, nem sei o que poderia ter lhe acontecido

Vagner disse...

Praça da Sé, mochilinha nas costas, cansado ... sei não hein Lukas. Tô achando que você se apaixonou pelo butequeiro... To zuando cara...

César S disse...

Falei pra vc ficar aqui em casa, ou no mínimo te dava a dica certa de como chegar, da próxima vez pergunta seu zé ruela...
Acho que os nóias estavam querendo te mandar para a Luz (cracolândia), realmente, mais sorte que juízo.
E sobre andar de taxi em SP, a grana que ele levou não dava para fazer os percursos descritos, ia ter que liberar o (...) para pagar o taxista, pois da Sé até o início da consolação são uns 1000 metros e depois a Consolação tem uns 1600 metros e o cara cobrou 17 conto...
Que bom que o show foi legal e valeu à pena (literalmente "à pena").

Anônimo disse...

Puta que o pariu !!! Não ter dinheiro pra pegar um táxi !!! Vai ser pobre assim lá no Zaire...Desse jeito é melhor arrumar um emprego...

lukas disse...

Ao 11:34: enquanto eu estava vendo o B-52 você estava assistindo o Zorra Total;
Ao Cesar S: Obrigado pelo convite, mas eu já tinha um QG. Abração.

Lucia disse...

Tio Lukas, sou sua fã de carteirinha, amo sua arte, vc é um gênio e é tudo de bom. Gosto da sua simplicidade, como esse gesto de explicar essa epopéia que foi sua viagem a São Paulo. Deixa disso, Lukas, vc não precisa dar explicação nenhuma para ninguém, o dinheiro é seu, o gosto pela banda idem. E, além disso, vc apenas exerceu seu direito de ir e vir, previsto na Constituição. O que me deixa consternada são certos comentários, com palavras de cunho pejorativo e agressivas. Pior que a pobreza material, apenas a de espírito. Essa sim, é de dar dó!

Anônimo disse...

Ao anônimo das 12h20min (Lukas):
eu não assista a Globo. Eu tenho, é óbvio, TV por satélite e dinheiro para andar de táxi...E não gosto do B'52. Acho medíocre. Prefiro o Led Zeppelin.

http://observadorsocialmaringaense.blogspot.com/ disse...

Momento mochileiro do Lukas,On the Road,q massa rsr.
Puta q o pariu como tem gente q tem inveja do Lukas,um cara aparentemente tão simples e gente boa.Mas com certeza isso deve-se ao seu talento,afinal isso é sinal que ele incomoda(e muito),pior seria a indiferença alheia,isso sim é sinal de fraqueza e limitação..Liga não Lukas,enquanto detonam a gente é sinal que nos admiram de certa maneira.

Anônimo disse...

Recorde de nocadas em Lukas hehehehe..... polemica haha..

César S disse...

Passagem mais 30 conto!!!!
Não saiu da rodoviária ou o papai foi buscar, e só aí o velho já morreu com 10 conto do estacionamento.

Tee disse...

"eu não assista a Globo. Eu tenho, é óbvio, TV por satélite e dinheiro para andar de táxi..."


tenho nojinho

Anônimo disse...

Bacana, Lukas. Uma experiência sublime.E muito louca. Praça da Sé às 2 da matina!!! Eu queria ter passado por isso (e levado a sorte que você levou).
Tô com inveja ( no bom sentido). E o o B-52 é muito legal.
Jean