13.1.09

David X Golias

Um vídeo imperdível do conflito entre Israel e Palestina. Lembra aquele estudante que se postou frente a um tanque na Praça da Paz Celestial, em 1989, na China.

19 comentários:

Anônimo disse...

Lukas, amanha às 20h terá um ato na Camara Municipal de Maringá contra a Guerra da Faixa de Gaza, organizado pelo PCdoB e pela UNE, com a presença de representante das 60 familias árabes que residem em nossa cidade. O convite está feito.

Anônimo disse...

“É realmente frustrante não sermos compreendidos. Quase 100% dos israelenses entendem que o mundo é hipócrita. Onde estava o mundo quando nossas cidades eram atingidas por foguetes ao longo de oito anos, e nossos soldados, seqüestrados? Por que nós deveríamos nos importar agora com o que pensa o mundo?”
jornalista israelita

Anônimo disse...

Por que será que morrem tantas crianças na palestina? Veja o vídeo:
http://br.youtube.com/watch?v=eTGbP55HGi8

Anônimo disse...

Espero que haja nessa manifestação na camara de vereadores uma condenação também ao terrorismo.

PcdoB!? Não é aquele partido que acha que os carniceiros Stalin e Fidel são herois?

Marcelo, o ignorante disse...

Invasão deliberada, injustificada e insustentável diante a comunidade internacional...
E lá vai Israel fazendo sua faxina étnica com o endosso dos EUA...
Israel é o grande fanfarrão mundial, pisando nos direitos civis, contrariando a opinião mundial... Oito anos de foguetes??? Que tal 60 anos de invasões sistemáticas e incursões em países vizinhos??? Soldados sequestrados? Cínica e despropositada essa afirmação...
Mas aí aparece um anônimo sofista e cita Stalin e Fidel...
E assim caminha a mediocridade!!!!

Anônimo disse...

ao anonimo hipocrita das 10:29
vc deveria escrever - "como o mundo naum acredita mais quando no fazemos de vitimas".
na segunda guerra todo mundo caiu no conto do holocausto. o mundo acordou e naum acredita mais em quem mata crianças a luz do dia e se faz de vitima. a mascara caiu.

Anônimo disse...

tem mais valor uma mulher palestina desarmada que dois soldados israelenses armados.

Anônimo disse...

Pelo que vi, os frenquetadores desse blog não acreditam que houve o holocausto. Tentativa tola - para não dizer desumana - para justificar seu anti-semitismo. O que se pode dizer, entâo?:
- O espirito de Hitler ainda vive!

Respondam, caros anti-semitas: Se Israel tem uma política genocída, porque permite quem vivam mais de um milhão de palestinos dentro de suas fronteiras com todas as garantias cívis e econômicas do próspero e democrático estado israelense?

Anônimo disse...

Outra pergunta: Quantos judeus vivem em países árabes? Nenhum.O mundo islâmico é que prega o genocídio judeu. Não o faz porque não consegue.

700 mil judeus foram expulsos sem nenhum ressarcimento de suas propriedades dos países mulçumanos (ao contrário doque aconteceu em grande parte de israel, onde as terras foram compradas). Fato semelhante aconteceu na Urss e em vários outros países. A criação do Estado de Israel foi uma garantia para um povo que historicamente vem sendo roubado e massacrado. E, agora, vive com essa espada sob sua cabeça: o terrorismo anti-semita, do qual o maio representate é o Hamas e, pelo que parece, possui milhares de simpatizantes além mar.

Anônimo disse...

Outra pergunta: Quantos judeus vivem em países árabes? Nenhum.O mundo islâmico é que prega o genocídio judeu. Não o faz porque não consegue.

700 mil judeus foram expulsos sem nenhum ressarcimento de suas propriedades dos países mulçumanos (ao contrário doque aconteceu em grande parte de israel, onde as terras foram compradas). Fato semelhante aconteceu na Urss e em vários outros países. A criação do Estado de Israel foi uma garantia para um povo que historicamente vem sendo roubado e massacrado. E, agora, vive com essa espada sob sua cabeça: o terrorismo anti-semita, do qual o maio representate é o Hamas e, pelo que parece, possui milhares de simpatizantes além mar.

Anônimo disse...

Valeu Lukas. Muito triste, porém belo. e eu acho que alguns leitores do seu blog deveriam ler mais.
A Palestina é dos palestinos há milhares de anos. Os israelenses tiveram seu pedaço concedido após a segunda guerra (eles já habitavam aquela região, também). Não satisfeitos foram se expandindo e fizeram de Gaza um gueto.

Marcelo, o ignorante disse...

Ninguém questiona o holocausto meu caro anônimo...
O que se questiona é como um país que teve seu povo perseguido seletivamente comece a realizar a mesma prática? Leia esse trechinho chupado do Observatório da Imprensa sobre a "Guerra de Mídia" - "É também a visão do jornalista Phillip Knightley, autor do clássico sobre guerra e jornalismo que remete à frase famosa de um senador americano, em 1918, para quem “a primeira vítima da guerra é a verdade”.

Numa entrevista à Folha, também no domingo, perguntado sobre a eficiência da máquina de propaganda israelense, Knightley responde: “É claro que funciona. A repetição, de modo profissional e sem recuo, acaba por fixar a idéia [de que toda nação tem o direito de se defender e é isso que Israel está fazendo]. E as pessoas acabam por acreditar, como se se tratasse apenas disso.”

O mundo com a exceção do bloco EUA e UK condenam as ações de Israel e suspeitam de crimes de guerra!!! Isso não é suficiente para imaginar que algo errado está acontecendo???

Anônimo disse...

Já que o marcelo, o sábio, cita textos da imprensa por que não lembrar o artigo do alemão - ÍCONE DA ESQUERDA MUNDIAL - Robert Kurz sobre a posição intransigente a favor do hamas e contra israel?
o Texto é longo, mas vale a pena ler.
Ele afirma que depois do fim da guerra fria a esquerda ficou perdida e passou a apoiar regimes que lhe parecia anti-imperailista:

Segmentos expressivos da esquerda global também passaram a transferir sem qualquer cerimônia a glorificação do velho "anti-imperialismo" aos movimentos e regimes islâmicos. Isso só pode ser caracterizado como penúria ideológica, pois o islamismo é contra tudo o que a esquerda defendeu na sua história: pune o homossexualismo com a pena capital e trata as mulheres como seres de segunda categoria
A responsabilidade por isso também não deve ser atribuída a nenhuma religião tradicional, mas a uma militância de tinturas culturalistas do patriarcado capitalista, hoje em crise, que se dá a conhecer de outro modo também no Ocidente. A nada santa aliança entre o caudilhismo "socialista" de um Hugo Chávez e o islamismo representa apenas a ratificação dessa decadência ideológica no plano da política mundial, destituída de qualquer perspectiva emancipadora.”
Mais adiante ele é preciso com o que acontece, hoje, com opinião pública mundial de viés esquerdista:


Por isso o pragmatismo capitalista se volta, conforme se pode observar até na imprensa burguesa de orientação liberal, cada vez mais contra a autodefesa israelense. Aqui reside, de resto, o segredo da virada neoestatista em meio à queda da economia global: as massas depauperadas devem ser pacificadas com meios autoritários, e para tanto serve agora até o islamismo, ainda mais se ele logra legitimar-se formalmente como democracia. Mesmo uma esquerda, que não tem mais um objetivo socialista e se jacta da pós-moderna "perda de todas as certezas", corre o risco de identificar-se com a administração autoritária da crise e aceitar como inevitável a guerra islâmica contra os judeus, como se ela fosse um mero flanqueamento ideológico
(...)
A opinião pública global caracteriza o contra-ataque israelense majoritariamente como "desproporcional". Os palestinos em Gaza são percebidos como vítimas juntamente com o Hamas, como se esse regime não se tivesse imposto em uma sangrenta guerra civil contra o grupo laico Fatah.
Assim a propaganda islâmica do massacre da população civil cai em terra fértil. Com efeito, o Hamas transforma, exatamente como o Hizbollah libanês em 2006, a população em refém, ao transformar mesquitas em depósitos de armamentos e permitir que seus quadros armados atirem de escolas ou hospitais. A opinião pública mundial ignora isso, pois já reconheceu o Hamas como "poder de garantia da ordem" em meio à crise social.

Por isso o pragmatismo capitalista se volta, conforme se pode observar até na imprensa burguesa de orientação liberal, cada vez mais contra a autodefesa israelense. Aqui reside, de resto, o segredo da virada neoestatista em meio à queda da economia global: as massas depauperadas devem ser pacificadas com meios autoritários, e para tanto serve agora até o islamismo, ainda mais se ele logra legitimar-se formalmente como democracia. Mesmo uma esquerda, que não tem mais um objetivo socialista e se jacta da pós-moderna "perda de todas as certezas", corre o risco de identificar-se com a administração autoritária da crise e aceitar como inevitável a guerra islâmica contra os judeus, como se ela fosse um mero flanqueamento ideológico.

Marcelo, o ignorante disse...

Confundir, desqualificar, mentir e ridicularizar...

Prezado anônimo filólogo...

Em que momento de minha argumentação defendi o indefensável Hamas???

Em que momento a discussão foi "comunismo" vs capitalismo???

"Seu" argumento (longo) se apoia sobre pressupostos inexistentes, logo...

Diversionismo puro...

Você apoia o bombardeio da população civil palestina? No que ele se difere das ações terroristas "anti-semitas"?

Eu, o anônimo disse...

Caro marcelo - o repentista da frase:"Confundir, desqualificar, mentir e ridicularizar" -, não diria que você é ridiculo nem desqulificado, mas confuso você é.
Primeiro: Acho que você não leu o primiero comentário daqui, nele fica claro que há nessa discussão uma clara clivagem esquerdaxdireita, ou melhor, "coitadinhos contra imperialistas".

Segundo: A Guerra de israel contra o Hamas tem uma motivação clara: defender seu povo contra os frequentes ataques desse grupo contra o seu país. Qual seria a melhor forma de acabar com os bombardeios? O hamas parar de atacar Israel. Simples é óbvio.
Porque a Cisjordânia não está sendo ataca? por que de lá não sai foguete, e o fatah, grupo que domina aquela região - ao contrário do Hamas - aceita a existência de Israel.
Israel não aceitou a resolução da Onu? Engraçado! o hamas também não.
Porque você não questiona de maneira nehuma o Hamas que é a fonte de todos os problemas? O mesmo Hamas que exterminou toda a oposição na faixa de Gaza, fuzilando pais na frente de filho como forma "exemplar" de demostrar o que acontece com os traidores do movimento.

Rapaz, você que se confunde e se desqualifica.

lukas disse...

Irmãos, não briguem.
Joguem peteca.
Lukas 28:02, versículo 4.

Anônimo disse...

este Eu anonimo só pode estar bebado
ou é de uma canalhice a toda a prova
ver um fascinora defender os ataques de israel em que crianças morrem por capricho é triste demais

Marcelo, o ignorante disse...

Parabéns Anônimos!!!!

1000 mortes!!!!!

A maioria Idosos, Mulheres e Crianças!!!

Realmente sou confuso em não defender esse genocídio!!!

Tio Lukas, tô numa boa... Só não consigo entender quem acha legítimo o extermínio de quem quer que seja...

Vamos falar de música, livros e outros afins que a polícia ideológica não enche nosso saco nem tenta nos ridicularizar por sermos humanitários....

lukas disse...

Valeu, Marcelo. Vamos falar sobre isso mesmo. Música, literatura e artes. Porque a intransigência política e religiosa só nos ferra. Os corações e mentes.