15.9.08

Esse John eu queria ser

John Fante nasceu no Colorado em 1920.
Começou a escrever em 1929 e teve seu primeiro texto publicado na revista The American Mercury em agosto de 1932: o conto Altar boy (O Coronhinha)
Seu primeiro romance, Espere a primavera, Bandini, foi publicado em 1938. No ano seguinte Pergunte ao Pó foi publicado. Em 1940 a coletânea com seus contos: intitulada Dago Red foi lançada.
Para ganhar dinheiro, Fante trabalhava como roteirista em Hollywood. Descobriu que tinha diabetes em 1955 e as complicações da doença terminaram por deixá-lo cego em 1978, mas continuou a escrever ditando para sua mulher, Joyce, e o resultado foi Sonhos de Bunker Hill. Morreu com 74 anos em 8 de maio de 1983.
Vige, Mãe de Deus! John Fante é um dos cinco melhores escritores que eu derricei na minha vida. Eu não tenho inveja dos Barros, como um anônimo colocou num comentário (que eu deletei). Eu morro é de inveja é do John Fante! Eu tenho a maior dor de cotovelo e inveja do John Fante. Eu odeio o Fante porque eu queria ter sido ele. Eu queria ser o Fante; eu adoraria ter diabetes, ficar cego, amputar as duas pernas e escrever como o John Fante.
Juro por essa luz do monitor que eu queria ser John Fante.
Mas nunca iria querer ser outro John.

7 comentários:

Anônimo disse...

Get out your room. Get a job. It´s enough to you.

Anônimo disse...

Cara, não força. O Lukas é petista, não fala nem português direito.

FAZOCA disse...

O ingles do primeiro anonimo tem 2 erros horrorosos ! Ele deve ter traduzido do "google"... WRONG PREPOSITIONS...

E, logicamente, o segundo deve ser o mesmo "primeiro". Ele necessita de apoio.

Coitado.

DELETE TUDO. LUKAS: Te adoramos.

Anônimo disse...

Huhauahuahuahu.
Eu amo a democracia...
Todos tem direito de expressar sua opinião...
E todos tem o direito de zoar o expressante desinformado...
Toma besta...

Juliano Xuxa.

Wilame Prado disse...

Sonhos de Bunker Hill, já leu? Se quiser emprestado...
Estou louco para ler O Caminho de Los Angeles, mas está caro!
Abraço.

Anônimo disse...

Pô, Lukas, assim não vale! Eu também queria ser o John. E agora estou com inveja de você, que quis ser o John primeiro. Eu queria ser o John como ele era. De corpo e alma negros (ele não era como o Obama, que bastou ser indicado para concorrer à presidência e já embranqueceu a alma). Eu queria ser o John para ouvir o sussurro daquelas negras lindas, com voz de sopranos de corais das igrejas batistas do Mississpi, dizendo: I love you, John! Eu ia babar e tirar um som muito maneiro da minha guitarra elétrica. Ia improvisar bastante pra todo mundo saber que eu era diferente do B.B. King. Nem ia querer saber de computadores pra conseguir um sonsinho de segunda classe. Com minha guitarra vermelha eu cantaria:


Boom boom boom boom
I'm gonna shoot you right down,
right offa your feet
Take you home with me,
put you in my house
Boom boom boom boom
A-haw haw haw haw
Hmmm hmmm hmmm hmmm
Hmmm hmmm hmmm hmmm

I love to see you strut,
up and down the floor
When you talking to me,
that baby talk
I like it like that
Whoa, yeah!
Talk that talk, walk that walk

When she walk that walk,
and talk that talk,
and whisper in my ear,
tell me that you love me
I love that talk
When you talk like that,
you knocks me out,
right off of my feet
Hoo hoo hoo
Talk that talk, and walk that walk

É, seria muito bom ser o John. O John Lee Hooker. Um negro que nunca deixou que sua alma embranquecesse.
Acm (o vivo)

Anônimo disse...

Os dois queriam é dar a bunda...