5.5.06

Bingão vergonhoso

Hoje, meio-dia e meia, estava eu no boteco tomando uma latinha quando chegam cinco meninas, alunas do colégio Tomaz Edison, do bairro Borba Gato, tentando vender cartelas de um bingo que vai acontecer no dia 7 de maio.
Senti raiva no olhar da menina; por ter que sair da escola e vender a trolha. Nem tinha almoçado ainda, ela e suas amiguinhas. Todas estavam coradas pelo sol , de tanto andar.
"O diretor da escola falou que quando a Igreja promove bingo, vende todas as cartelas. E porque a gente [escola] não consegue vender?", teria dito o diretor.
E aí bota as crianças na rua com os papéis. Ninguém comprou, e a menininha alí, oferecendo um jogo dentro de um bar.

"Eu sou evangélica e nem gosto desse negócio de jogo. A gente foi obrigada a sair vendendo as cartelas", disse a menina, que tem mais cinco irmãs, uma das quais também vendia cartela.
Pra dar uma forcinha, comprei duas, que era pra meninas irem pra casa, tomar banho e almoçar. Rasguei quando cheguei em casa.
Sobraram mais três meninas tentando vender o treco, andando pelas ruas do bairro, batendo palma nos portões das casas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Lukas, só de raiva eu também rasguei aquele negócio que você me deu!

tonho disse...

Rasgou o negócio que o cara te deu?

Que é isso cumpadi?